sexta-feira, 25 de março de 2011

exposição CONVERSAS


CONVERSAS

Projeto [PAISAGEM:FRONTEIRA], Felipe Prando + plataforma parentesis (coleção conversas), Regina Melim + BASEmóvel, Vitor Cesar e Enrico Rocha + Projeto Mutirão, Graziela Kunsch + Conversa como Lugar, Vitor Cesar e Graziela Kunsch


A exposição CONVERSAS é uma proposição artística construída com a participação de 05 projetos – Projeto [PAISAGEM:FRONTEIRA], plataforma parentesis (coleção Conversas), BASEmóvel, Projeto Mutirão e Conversa como Lugar – que realizam suas exposições sob as formas de conversas e/ou publicações.
CONVERSAS é o nome da exposição, mas também é um contexto gerado pelo encontro destes projetos, e o ponto de partida para a produção de seus espaços expositivos: o Museu da Gravura de Curitiba e o JORNAL. Os propositores de cada projeto, através da realização de CONVERSAS, e a partir das mesmas, ocupam e ativam os dois espaços expositivos com as questões dos seus trabalhos, e as da exposição.
As salas do Museu da Gravura, vazias no ato de abertura da exposição, serão ocupadas à medida que o público e/ou os projetos transformarem estas salas num espaço ativo. A exposição existirá como uma superfície aberta e distributiva, um espaço sujeito a mudanças, que não será o mesmo do primeiro ao último dia de exibição, pois será elaborado e transformado neste período.
Cada projeto, a partir do seu próprio contexto, e do gerado pelas CONVERSAS, poderá configurar o espaço expositivo de modo diferente: criar equipamentos expositivos próprios, dialogar de modo mais intenso com um e não com outro projeto, disponibilizar vídeos, publicações, textos avulsos, etc..
O JORNAL será produzido ao longo das CONVERSAS enfatizando a ideia da exposição ser não apenas um espaço de apresentação, mas também de produção de trabalhos de arte, e de outras exposições.


CONVERSA 2.
17/02, 19hs, Regina Melim - plataforma parentesis (coleção Conversas), Regina Melim

Coleção Conversas é um projeto de exposição portátil constituída por pequenos livros que documentam encontros entre artistas, curadores, teóricos e pesquisadores expondo seus modos e concepções acerca da arte contemporânea. As duas primeiras exposições portáteis aconteceram com duplas de artistas: Tudo pelo Ben – uma conversa entre Ana Paula Lima e Ben Vautier; e blá blá blá – uma conversa entre Fabio Morais e Marilá Dardot. Tão logo estes dois primeiros volumes estavam prontos, senti a necessidade de criar um circuito próprio para esta série. Não era em uma prateleira de livraria (tão-somente), porque essa exposição portátil estava sendo vislumbrada como um modo diferenciado de expor um trabalho artístico, cujo lugar estabelecido era o de uma publicação. Assim, surgiu a ideia de fazer uma exposição na qual pudesse inserir outras “exposições” (outras publicações), compartilhando com outros pares e intensificando o debate sobre esse “lugar-publicação” e seus modos de apresentação. Ou esse “lugar-publicação” como o próprio “lugar-exposição”.

LOCAL:
Museu da Gravura de Curitiba, Solar do Barão
Rua Carlos Cavalcante, 533 - Centro - Curitiba/Pr